O que estou aprendendo com a professora Elisa

01/04/2019

Faz pouco mais de um ano que estou matriculado no curso mais importante da minha vida. Certamente nenhum MBA, mestrado, doutorado ou pós-doc são capazes de proporcionar aprendizado com tanta diversidade e aprofundamento. As aulas começaram na tarde do dia 19 de janeiro de 2018 mas, sabendo que elas chegariam, comecei meus estudos meses antes. A gente quer sempre estar preparado para tudo e, com o tempo, descobre que nem sabe o que tudo pode ser.

A primeira e talvez mais importante lição que tive foi: você não tem mais o controle. Aliás, nunca teve. O que teve foi apenas uma sensação de que controlava sua vida como bem entendesse. Embora suas escolhas ainda existam, elas não são mais fundamentadas em suas necessidades e desejos. Elas são totalmente direcionadas para as necessidades e desejos de outra pessoa; mas aí você rapidamente percebe que as necessidades e desejos dessa pessoa passam a ser sua total prioridade, portanto, suas escolhas voltam imediatamente a ser autênticas. Essa escola onde estou estudando se chama paternidade e minha professora se chama Elisa. É uma escola em que se aprende sobre disciplinas diversas, como biologia, psicologia, nutrição, logística, idiomas, segurança, motivação, criatividade, finanças, entre tantas outras. E uma coisa bem bacana é que você pode aplicar todo esse conhecimento nos negócios.

Professora Elisa ministrando sua primeira aula.

Praticamente em todas as atividades profissionais os prazos são um fator de grande importância nas relações. No caso das agências de publicidade os tais prazos ganham um certo destaque. Provavelmente nenhuma outra atividade trabalhe com prazos tão apertados quanto a publicidade (sei que talvez eu esteja cometendo injustiças aqui, mas não estou diminuindo nenhuma outra profissão, apenas falando sobre a qual tenho contato diário há dezoito anos). Com a professora Elisa tenho aprendido que, se horários não são cumpridos, as consequências logo chegam. Por conta disso, é importante preparar uma certa agenda de atividades para o dia e se esforçar para segui-la o mais próximo do planejado. Em poucas semanas você percebe que quase nunca o realizado está próximo do planejado. E se você acha que isso acontece por falta de organização ou disciplina, lembre-se da lição número um. Outra importante descoberta: você é suficientemente forte para gerenciar bem as consequências.

Como estamos falando em disciplina, foco é uma palavra que está diretamente relacionada a esta capacidade de não desviar a atenção, a encontrar e a manter a plenitude em uma atividade. Provavelmente o período de maior plenitude do nosso dia seja durante a noite, enquanto dormimos. Mas com a professora Elisa aprendi que aquelas seis ou oito horas de sono ininterrupto não estão mais garantidas. Aprendi que é necessário encontrar foco mesmo com as interrupções e que, sim, isto é possível. Mais que isso: somos capazes de viver muito bem, mesmo que fora das condições ideais. E aprendi que as interrupções agora fazem parte das condições ideais. E tudo bem.

Professora Elisa ministrando aula noturna (já estava quase virando aula matutina) sobre tolerância, no Módulo Paciência.

Com o passar do tempo e a evolução na carreira você vai conquistando alguns benefícios que não tinha antes. Um deles é — às vezes — poder selecionar um pouco algumas das tarefas a serem feitas. É uma espécie de compensação por estar ficando velho. Perde-se aqui, ganha-se ali. Pois bem, com a professora Elisa tenho me sentido mais junior do que quando comecei a estagiar, aos dezessete anos. Trocar fraldas, dar comida, escovar os dentinhos, (tentar) fazer dormir, dizer não… são tantas coisas que nem sempre estamos com tanta vontade de fazer, mas fazemos. Simplesmente fazemos. Caso você esteja me achando insensível por, por exemplo, dizer que nem sempre dá vontade de escovar os dentinhos, lembre-se: você não tem mais o controle e as condições não são as ideais. Já houve momentos em que pensei que seríamos denunciados ao Conselho Tutelar por simplesmente estarmos escovando os dentes da pequena professora. Ela detestava e demonstrava isso com suas potentes cordas vocais. Aos poucos fomos encontrando um jeitinho particular para a escovação, que se tornou um momento lúdico para a família.

Aproveito para dar uma dica dos profissionais de Odontologia da Unicamp para você que tem ou terá bebês em casa: você deve escovar os dentes da criança todos os dias a partir do nascimento do primeiro dentinho. Todos os dias. Mesmo que seja somente um dente e muito pequeno, escove diariamente.

Se a palavra supervisão não consta no seu currículo, ao estudar na escola da paternidade você fará intermináveis listas de exercícios sobre supervisão valendo nota para passar de ano. E, embora eu não possa afirmar, dizem que mesmo se seu filho tem setenta anos de idade, você ainda terá um instinto de supervisão e cuidado para que nada de mau aconteça. Essa tal supervisão é bastante abrangente e talvez por isso seja um dos principais talentos que se desenvolvem com a paternidade: você supervisiona para não cair, para não bater a cabeça nas quinas, para não colocar a mão na tomada, para não se afogar, para não se queimar, para não bater, para não apanhar, para não assistir muito desenho, para não comer porcarias, enfim, para tudo o que possa ser prejudicial. E depois vai descobrindo que é importante dar espaço e liberdade para que algumas dessas coisas aconteçam, sim. Sempre com supervisão. Que esses obstáculos trazem lições fundamentais para a vida e que até professores tão graduados como a Elisa têm sempre muito a aprender.

Professora Elisa em momento de descontração entre uma aula e outra.

Na escola tenho convivido também com outros alunos. Minha esposa Diana é uma delas. O curso no qual ela está matriculada é diferente do meu, mas a maior parte das disciplinas fazemos na mesma sala de aula, com a mesma professora. Tem também alguns alunos um pouco mais velhos, os avós. Eles já tiveram essas aulas mas estão fazendo um “cursinho de reciclagem” e relatam que muita coisa mudou com o passar dos anos. Aproveito para dizer que com eles também tenho aprendido bastante e por isso sou muito agradecido. Tenho aprendido e sou grato especialmente à Diana. Tudo o que relatei aqui é superficial perto da intensidade com que ela tem vivenciado essas lições. Diante dela sou um mero aprendiz de aprendiz.

Para estudar na escola da paternidade temos que colocar as mãos no bolso e abrir a carteira, mas a sensação é de que a mensalidade é grátis, tamanho o prazer e aprendizado que ela traz. Mesmo sendo um novato, eu recomendo que você — à sua maneira e possibilidades — se matricule. Saiba que nunca receberá um diploma, pois o curso nunca será concluído. E, novamente: tudo bem. O maior reconhecimento você recebe todos os dias.

Obrigado por tudo, professora Elisa.

Papai te ama, filha.

Ivan Malusá Romanini

Outros artigos

Veja todos os artigos

    Escreva para a Sim e vamos pensar juntos sobre seus negócios